Florais de Minas

Os Florais de Minas foram fundados em 1989 por Breno Marques da Silva e Ednamara Batista Vasconcelos e Marques com a finalidade de consolidar e divulgar suas pesquisas em Terapia Floral, atuando tanto nos campos científico quanto intuitivo e sutil, amparados em referências e estudos registrados por grandes pesquisadores e filósofos da antiguidade aos tempos atuais. A empresa possui laboratórios de farmacognosia, microbiologia, análise físico-química, microscopia, estereomicroscopia ótica e digital, além de análise quantitativa de substâncias ativas de plantas, contando inclusive com equipamentos modernos tais como sistema de CLAE/HPLC (cromatografia líquida de alta eficiência) e espectrofotômetro UV-VIS (ultravioleta-visível). Além do caráter inovador, da erudição e sofisticação em suas pesquisas, e do rigor no controle da qualidade de seus produtos, os Florais de Minas primam pela simplicidade e sensibilidade na abordagem da Natureza. Através dos estudos de bioeletrografia (kirliangrafia), das análises de emaranhamentos quânticos (quantum entanglement) e da cristalização de essências florais em baixas temperaturas, os Florais de Minas têm desenvolvido pesquisas pioneiras no campo sutil envolvendo estudos de física/mecânica quântica.

 

Sobre os florais

O que é uma Essência Floral?

 

As essências florais são extratos líquidos sutis, geralmente para consumo oral, usados para tratar questões do bem-estar emocional, do desenvolvimento da alma e da saúde do corpo-mente. As essências florais são preparadas a partir de flores silvestres colhidas no alge da florada da planta, nas primeiras horas da manhã quando ela ainda está cheia de orvalho, em locais na natureza onde as forças elementais se encontram intactas e, por isso mesmo, potentes/poderosas.

 

Preparo do floral da Desert Lily

Preparo do floral da Desert Lily

O Que são as essências florais, como Atuam e o que nos Oferecem

 

Quando você utiliza uma essência floral, ela mobiliza em você a consciência de seus dons e potenciais que necessitam  ser desbloqueados, despertos ou fortalecidos. Atuam nos campos vitais, no corpo etérico, emocional, mental e na conexão com nosso Eu Espiritual.

Os florais são catalisadores do processo de evolução pessoal,  nos levam a identificar e transformar emoções e tendências negativas ou destrutivas, favorecendo o acesso a novas possibilidades da vida interior. Geram saúde, bem estar e acabam por nos abrir novos caminhos.

 

 

Embora Dr Bach tenha criado o sistema floral para permitir a automedicação diante de tantas essências e suas combinações, não é uma tarefa fácil, exige um grau de sensibilidade e autoconhecimento consideráveis, por isso temos um profissional qualificado e treinado para ajudá-lo(a) a elaborar uma fórmula adequada para você. Se precisar ligue e marque uma consulta fone (11) 3288-6777.

 

 

As Essências

 

Agave:
corajosos e fortes, mas se sentem exauridos,
escondem o cansaço; esgotamento.

 

Ageratum:
catalisação de sonhos “carregados de
emoções” psiquicamente significativos.

 

Aleluia:
falta de esperança na recuperação; desalento;
desistência; abatimento.

 

Althaea:
sentimentos de abandono, rejeição e de
exclusão; complexo do “bode expiatório”.

 

Amaranthus:
conflitos, discórdias e desentendi-
mentos no relacionamento familiar.

 

Ambrosia:
apreensão com a possível escassez de
recursos vitais; medo do futuro.

 

Anil:
enfraquecimento intelecto-sensorial precoce:
compreensão subjetiva da velhice.

 

Aristoloquia:
culpa; remorso; medo sombrio do pecado
e inferno; autopunição; impotência.

 

Arnica Campestre:
traumatismos;  dores  internas;  
cicatrização; pré e pós-operatório.

 

Artemisia:
depurativo de largo espectro; eliminação
de toxinas; antibiótico floral.

 

Basilicum:
confusão e desordens mentais; sensação de
incapacidade e inadequação.

 

Bipinatus:
pânico; desespero; descontrole emocional;
pesadelo; distúrbios noturnos.

 

Borragine:
depressão crônica suave a moderada;
negativismo; pessimismo; angústia.

 

Bougainvillea:
bloqueios na criatividade; incapacidade
de improvisação; engenhosidade.

 

Calendula Silvestre:
oscilações extremas de humor;
instabilidade emocional.

 

Calmim:
tensão; ansiedade; nervosismo; irritabilidade;
ruminação mental; preocupações; impulsividade;
impaciência; confusão mental; agressividade.

 

Camelli:
vingativos; ciumentos; possessivos; agressivos;
invejosos; rancorosos.

 

Capsicum:
apatia; resignação; inércia; paralisia; preguiça;
indolência; ociosidade.

 

Cassia:
vergonha e autocondenação por atitudes
públicas e sociais.

 

Cauliflora:
avarentos;  possessivos;  materialistas;  
egoístas; exclusivistas.

 

Chicorium:
 possessivos; ciumentos; dominadores;
magoáveis; chantagistas; carentes.

 

Coffea:
mecanização e massificação comportamental;
obstinação mental.

 

Coleus:
 superficialidade; repetindo erros; imaturidade
emocional; fragilidade psíquica.

 

Dianthus:
 ruminação mental; preocupação oculta;
aflição; traumas psicológicos.

 

Duranta:
agonia; dor; trauma; enrijecimento emocional;
inflexibilidade psíquica.

 

Emilia:
falta de autoconfiança; indecisão em situações
corriqueiras; volubilidade.

 

Eucalyptus:
conflito existencial que confronta a
legitimidade/legalidade do viver/morrer.

 

Feminalis:
sintomas do climatério (menopausa) e da
síndrome pré-menstrual.

 

Ficus:
indecisão; instabilidade; desequilíbrios; oscilação
psíquica; distúrbios circadianos.

 

Ficus Krakatoa:
pureza, graça, integração, completude,
plenitude, “nudez de alma”, espontaneidade, serenidade,
alegria de viver.

 

Foeniculum:
cansaço mental; dificuldades de “digerir”
e “assimilar” fatos novos.

 

Fortificata:
carência afetiva prolongada; esforço
unilateral; exaustão mental e orgânica.

 

Fragaria:
medo da exposição pública; retraimento; fuga;
dificuldades de envolvimento.

 

Fuchsia:
tortura interna “falseada” por aparente bom
humor; ansiedade; insônia.

 

Guinea:
dependência patológica de terceiros: “acha
que não vive sem o outro”.

 

Guttagnello:
crianças inseguras; problemas
respiratórios; pesadelos; bruxismo.

 

Helianthus:
introversão ou extroversão extremas;
loquacidade; auto-obcecação.

 

Heliofolius:
pessimismo social; mau humor;
atormentado pelo sucesso alheio.

 

Heliotropium:
“escuridão da alma”; “nigredo
existencial”; angústia; melancolia; tristeza.

 

Hibiscus:
conflitos, rusgas, desentendimentos e
incompatibilidades entre o casal.

 

Hymenaea:
frigidez sexual feminina; vergonha do
corpo; acanhamento; inibição sexual.

 

Icaro:
hipersensibilidade sensorial; ansiedade e tensão
motivadas pela necessidade exagerada de progresso
social ou profissional; “inflação” psicológica.

 

Ignea:
valorização extrema das aparências em
detrimento dos valores internos.

 

Impatiens:
impaciente; irritado; tenso; nervoso;
inquieto; agitado; insônia.

 

Incensus:
consciência mística e religiosa; visão mais
minuciosa da realidade.

 

Inga:
apego exagerado no relacionamento; sobrecarga
na condição de mãe ou esposa.

 

Ipomea:
vida desregrada; vícios em drogas e bebidas;
desintoxicação mental.

 

Jasminum:
autoimagem falsa; julgamento próprio
enganoso; rejuvenescimento psíquico.

 

Lacrima:
indução de estados meditativos e interiorizados;
purificação mental e espiritual.

 

Lactuca:
Complexo de Adônis; padrão doentio de
alimentação; exibição corporal mórbida.

 

Lantana:
harmonia e boa convivência em agrupamentos,
reuniões, escolas, presídios e locais onde a tensão de múltiplos interesses vem à tona; equilíbrio individual-coletivo.

 

Lavandula:
imaturidade psíquica-biológica; senso de
inferioridade; falta de autoconfiança.

 

Leonotis:
reservas internas de força e coragem
durante situações adversas.

 

Leonurus:
atenção e sensibilidade aos detalhes da
experiência vivida; aprendizado.

 

Levitate:
ansiedade; pensamento obsessivo; medo;
carência afetiva; vontade fraca.

 

Lilium:
sensualismo extremado; morbidez sexual;
ninfomania; narcisismo.

 

Limpidus:
debilidade imunológica em razão de
conflitos emocionais persistentes.

 

Linum:
falta de “contornos” psíquicos nítidos; confusão
entre o “eu” e o “outro”.

 

Lippia:
tendência em perder energia; recuperação;
restauração; convalescença.

 

Luceris:
distúrbios psíquico-espirituais que afetam o
comportamento de médiuns, videntes e pessoas que
lidam com forças paranormais; astralismo.

 

Madressilva:
melancolia e sentimentalismo saudosista;
não aceitação do envelhecimento.

 

Malus:
pensamentos e sentimentos impuros; complexos
na adolescência; antibiótico floral.

 

Margarites:
visão fragmentária e estéril da vida e dos
acontecimentos; intelectualismo.

 

Mater-Paternarum:
equilíbrio entre as contrapartes
psíquicas masculinas e femininas.

 

Matricaria:
pessoas  maternais  e  nutritivas  que  se  
esgotam na ânsia de servir.

 

Melindre:
insatisfação e inquietude; sensação de “estar
perdendo a oportunidade”.


Millefolium:
supersensibilidade; inadaptabilidade;
desproteção; aceitação de mudanças.

 

Mimosa:
medo de coisas corriqueiras; medo do
contato; hipocondria; gagueira; timidez.

 

Mirabilis:
crítico; intolerante, mal-humorado; cínico;
separativista; exclusivista; racista.

 

Momordica:
ruminação de pensamentos e sentimentos;
aflição e preocupação excessivas.

 

Myosotis:
revolta com a perda de entes queridos;
rejeição de recém-nascidos pelos pais.

 

Nicociana:
agitação psicomotora infantil; sublimaçãoda coragem física em coragem moral; vícios; falta de
força de vontade para alterar situações adversas.

 

Nigrum:
história de sofrimento desde o nascimento;
dor; trauma; abuso na infância.

 

Orellana:
forte sobrecarga emocional prolongada que
traz risco de colapso.

 

Origanum:
falta de motivação e propósito de vida;
tédio; inadequação.

 

Ornithogalum:
trauma; susto; choque; paralisia;
notícia grave; crise nervosa.

 

Palicores:
“ancoragem” psicológica para lidar com
aspectos obscuros da própria “sombra”.

 

Passiflora:
sonambulismo; enurese noturna; bruxismo;
pesadelo; medo vago; temor.

 

Pastoris:
dificuldades de convivência; isolamento;
desconfiança sobre a intenção alheia.

 

Persicaria:
“paralisação” psicológica; tabus,
impedimentos, proibições, inibições.

 

Pervinca:
rejeição profunda da vida; sensação de
“estar indo embora”; desistência.

 

Phyllanthus:
sistemático; perfeccionista; metódico;
cristalização mental e emocional.

 

Pinus:
sentimento de culpa; remorso; arrependimento;
tristeza; autopunição.

 

Piperita:
lentidão e dificuldade de “assimilação” psíquica
e sensorial; falta de concentração.

 

Plantago:
medo paralisante de arriscar, de se entusiasmar,
das surpresas e do inesperado.

 

Prunus:
“encantoamento”; falta de “saídas aceitáveis”;
parece que vai “explodir”.

 

Psidium:
pensamentos irracionais; medo de “perder o
controle”; nervosismo “no limite”.

 

Rosa Canina:
apatia; resignação; anemia psíquica e
espiritual; coração “frio”.

 

Rosmarinus:
desatentos; sonhadores; irrealistas;
distraídos; “lunáticos”.

 

Ruta:
fraqueza de vontade; subserviência; falta de
franqueza; cansaço por servir.

 

Salvia:
dificuldades de compreensão e aprendizado;
tendência a repetir erros na vida.

 

Sambucus:
sobrecarga; medo do descontrole físico-
psíquico e de “perder a cabeça”.

 

Sempervivum:
fraqueza, prostração, esgotamento e
exaustão da mente e do corpo.

 

Sempiternu:
perda precoce das faculdades
intelectuais e sensoriais; senilidade.

 

Silene:
fraca identidade pessoal; tende a imitar; falta
de sinceridade e de autenticidade.

 

Sinapsis:
depressão endógena; angústia; desesperança;
melancolia; tristeza.

 

Solanis:
voracidade; gula; cobiça; astúcia; deslealdade;
frustração; rixa.

 

Sonchus:
depressão exógena; pessimismo; desânimo;
negativismo; tristeza.

 

Splendens:
instinto  predador;  desumanidade;  
isolamento em relação à natureza.     

 

Supplerium:
tristeza; angústia; melancolia; depressão;
negativismo; pessimismo.

 

Tabebuia:
concentração e potencialização dos
recursos internos de autocura.

 

Tagetes:
choque emocional; trauma; susto; notícia
grave; perda; paralisia; luto.

 

Taraxacum:
superficialidade; fanatismo; visão
“grosseira” da realidade; debilidade sensorial;
dificuldade de percepção, assimilação e aprendizado.

 

Thunbergia:
dominadora; autoritária; inflexível;
agressora; tirânica; cruel.

 

Tonarion:
cansaço mental e físico; prostração; apatia;
desinteresse pelas circunstâncias.

 

Trimera:
apreensão e medo exagerado com o bem-
estar dos entes queridos.

 

Tropaeolum:
solitário; independente; orgulhoso;
autossuficiente; soberbo.

 

Typha:
transformação; vocação; meta; propósito;
engajamento; fertilidade; vontade; ânimo.

 

Verbenacea:
obcecado por justiça; fanático;
entusiasmado; tenso; superansioso.

 

Vernonia:
insubordinação; desobediência;
dificuldades dentro de uma hierarquia.

 

Vervano:
agressividade; violento; discurso de
“justiceiro”; drama emocional da infância.

 

Villaresia:
intenções ocultas; iniquidade; maledicência;
maldade; perversão; perversidade.

 

Viola:
acanhamento; fragilidade psíquica; timidez; medo
de se expor; solidão.

 

Vitis:
prepotência; arrogância; tirania; machismo;
dominação; egoísmo; crueldade.

 

Xamanis:
conflitos emocionais relacionados com a
vocação e prática terapêutica.

 

Zante:
ambiguidade e conflito sexual; rejeição das
partes sexuadas do corpo.

 

Zinnia:
ressentimento; amargura; rancor; mau humor;
transfere as próprias culpas